Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

cheia

cheia

25
Abr21

25, de Abril de 2021

cheia

25, de Abril de 2021

No quadragésimo sétimo aniversário do 25, de Abril de 1974, mais um cravo vai florir

Um sonho que, como todos os sonhos, se vai desvanecendo com o acumular dos anos

Um século depois, os mesmos erros, como que a caminhar ao encontro de um novo salvador da pátria

Como se alguém nos pudesse salvar! A nossa salvação está na nossa união, na força da nossa imaginação, no nosso trabalho, honesto, na alavanca da Educação, que é a maior riqueza de qualquer Nação

Depois de 47 anos continuamos com as mesmas desigualdades, com milhões de pobres, sem ilusões, a verem os políticos a mamarem na teta do Orçamento, como dantes, a enriquecerem 

Com os nossos representantes, na Assembleia da República, a declararem moradas falsas, para receberem mais uns cobres

Todos os dias, os charlatões nos vendem ilusões de milhões

Mas, infelizmente, todos os dias tropeço em pessoas a viverem em papelões

Todos os dias há notícias de muitas, muitas corrupções

Algumas praticadas por os que enchem a boca com a ética republicana

Palavras contrariadas pela prática das ações

Somos um país com a mania das grandezas, de esquemas para esconder a miséria

Sempre de mão estendida, todos dias vamos aos mercados, pedir dinheiro emprestado

Somos os primeiros a apresentar projetos, em Bruxelas, para díspar a bazuca

Quando é para estender a mão, somos, sempre, os primeiros

Foram muitas as espetativa , mas infelizmente, são muitas mais as desilusões

Quem ouve os nossos governantes, parece que estamos no paraíso

Mas, nas estatísticas continuamos na cauda da Europa

Quando são indiciados por corrupção, assobiam para a continuação

Sempre com a mesma lengalenga, da consciência tranquila

A justiça não funciona, e a nação, cada vez, mais se afoga

Só não cairemos noutra ditadura, se Europa nos Governar.

 

José Silva Costa

 

23
Nov20

Natal

cheia

Natal

Este ano não há Natal

Infelizmente, cada um vai ficar no seu quintal

Filhas, filho, netas, neto, todos tão longe, mas tão perto

Mais Natais virão, onde todos caberão

Mas neste, não querem arriscar

Para que nos outros, todos possamos estar

Estes meses têm sido muito duros de suportar

Quantos mais, ainda, teremos de aguentar?

A vida está-nos sempre a perguntar

O que com ela queremos argumentar

Passamo-la na correria da pressa

Com medo que a esperança arrefeça

Um dia ela tropeça

Olhamos para trás e arrependemo-nos de não a termos ouvido

De a termos gasto sem sentido

Não serve de nada estar arrependido

Não volta mais, o tempo perdido

O mais importante é vivermos na ilusão de que tudo é permitido

Na alegria de cada dia saborear o melhor que ela tem para nos dar

Na euforia de que o sonho nunca vai acabar.

 

José Silva Costa

 

 

 

 

 

 

 

 

25
Ago20

Redes!

cheia

As redes sociais

 

Tantas vezes elogiadas

Tantas vilipendiadas

São as mais belas estradas

Por todo o mundo atravessadas

Onde todas as pessoas estão sentadas

A percorre-las, animadas

Por um fio ou satélite, guiadas

Quando bem utilizadas

Tantas amizades encontradas

Tantas mensagens divulgadas

Tantas distâncias encurtadas

Tantas perguntas respondidas

Tantas oportunidades aproveitadas

Tantas ajudas pedidas

Muitas são atendidas.

 

Uma jovem portuguesa, a viver no Reino Unido, fez um pedido nas redes sociais

Quer estudar matemática numa, Universidade, boa

Mas não tem meios, para o sonho concretizar

Conseguiu tocar alguns corações, entre eles, o da cantora Tayllor Swift

Que lhe doou 26.000,00 €

Se conseguir concretizar o sonho

E todos os que a ajudaram souberem

Vai ser um momento de muita felicidade, para todos.

 

José Silva Costa

 

 

 

08
Jul20

O futuro!

cheia

Que futuro!

No calor do Verão, cozes o pão

Tens a vida em suspensão

Sem saberes o que vai acontecer

Se a empresa vai ou não fechar

Ninguém sabe com o que contar

Esta pandemia veio-nos desafiar

E, tu continuas determinada

A aproveitá-la para uma nova caminhada

Não ficaste três meses confinada

Para que tudo fique na mesma: sem nada

A mesma tristeza, a mesma pobreza, a mesma incerteza

Queres aproveitar para o Mundo mudar

Dizes que alguém tem de começar, não podemos mais esperar!

Não queres mais correrias sem sentido, para um trabalho vazio

Queres fazer qualquer coisa que seja útil, em que te sintas realizada

No futuro, não queres continuar a fazer coisas que não servem para nada

Quando há tanta falta de coisas indispensáveis, para toda a gente

Queres correr atrás de um sonho!

Então, tens de o fazer agora, enquanto as pernas correm

Para o, poderes agarrar

Porque com os anos as pernas começam a pedir para descansar

E, os sonhos vão morrendo devagar.

 

José Silva Costa

 

 

 

 

 

 

 

 

03
Set19

A Medicina!

cheia

Mãe

A realização de um sonho

Graças à medicina

A prenda mais desejada

Para quem temeu

Que o sonho, de ser mãe, fosse impossível!

Quanta gratidão há?

Nesses dois enormes e lindos olhos!

Que a todos dão força e encanto

Como que a dizerem, consegui!

Incentivando, todos, a lutarem pelos seus sonhos

Porque a vida é só isso!

Uma luta constante, para atingir os sonhos.

 

José Silva Costa

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub