Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

cheia

cheia

02
Mai24

O Império

cheia

 

O Império  -  As teias que o Império teceu

 

58

Mais tarde ou mais cedo, quando os avós estão colhendo os doces frutos dos cabelos prateados, chega a hora de se irem embora

O Januário estava cada vez mais doente, constantemente com sazões, quase já não podia andar

Como toda a família, a neta andava muito triste, sentia a falta do avô, queria ir para as lavras, correr, saltar brincar. Mas faltava o avô, para a acompanhar

A avó bem tentava mantê-la ocupada, quando ela não queria ir para a creche, porque queria ficar ao pé do avô. Mas a sua vida tinha-se tornado num inferno, desde que o marido tinha ficado acamado

A Rosinha estava preocupada, tinha de falar com a filha e o genro, para arranjarem uma estratégia, que a fosse afastando do avô, para minimizar a dor, que sentiria, quando o avô  morresse

Todos estavam muito tristes, mas era inevitável, a vida do Januário estava por um fio, seria uma grande perda para todos. Tinha-se distinguido, por ser uma pessoa boa, amiga de toda a gente

A Milay esperava que o seu bebé nascesse a qualquer momento, parecia que queria nascer antes de o tio-avô partir, tem sido assim ao longo dos séculos: uns chegam, outros partem, umas vezes cruzam-se, outras não

A juventude da Leopoldina e sabedoria da Miquelina fez com que a cooperativa evoluísse: mais produção, melhores produtos, melhores condições de vida, para todos os cooperantes

Toda aquela máquina, bem oleada, fazia com que os clientes as elogiassem pelo valoroso trabalho, que desenvolviam em benefício de toda a comunidade

Todos os dias apareciam mais jovens e adultos a quererem ser sócios da cooperativa, e   isso era motivo de orgulho para todos

Eram todos bem-vindos, com plenos poderes, só às regras comunitárias tinham de obedecer

A Miquelina e o Ezequiel também iam ser avós, estavam muito felizes, passavam o tempo  a fazer planos como lidar com a  neta ou neto, tentavam adivinhar  qual seria o seu sexo

A futura avó afiançava que era uma menina, porque a Milay tinha uma barriga muito redondinha

O Ezequiel dizia que tanto fazia, era bom é que fosse saudável, fosse menino ou menina

Mas, a Miquelina sabia que ele preferia que fosse um rapaz, não queria que a sua preferência chegasse aos ouvidos do filho e da nora

Todas as mães, a pouco-e-pouco, decidiram deixar os filhos na creche, e isso fez com que aumentasse a produção

Nos seus rostos lia-se a sua felicidade, quando iam entregar as crianças e buscá-las, para irem para casa

Não choravam, corriam para os colegas, não queriam ir para casa, continuavam a brincar, tudo isto contribuía para que os pais se sentissem contentes, com o funcionamento da creche.

 

Continua

 

 

18
Abr24

O Império

cheia

O Império – As teias que o Império teceu

56

 O Januário e a Rosinha continuavam sem darem pela passagem dos dias, na companhia da neta, de tudo o resto se abstraíam 

Queriam aproveitar todos os bons momentos do seu crescimento que, para os pais e avós, são de ternura e encantamento

A Leopoldina e o Jeremias agradeciam a disponibilidade dos avós, podendo, por isso, dar mais atenção aos assuntos da cooperativa, que geriam com tanta dedicação, na esperança de poderem dar melhores condições de vida a todas as cooperantes

Como todos os casais tinham muitos filhos, era muito difícil ver melhorias, apesar de todo o empenho, de todos

Mesmo com toda a dedicação, era muito difícil aumentar, muito, a produção, e isso preocupava a Leopoldina, que se esforçava para que todos contribuíssem com os seus conhecimentos sobre as diversas culturas: milho, mandioca, batata-doce, jinguba (amendoim)

A Milay e o Zacarias disseram, à Miquelina e ao Ezequiel, que estavam à espera de um bebé, os futuros avós não podiam ter tido melhor notícia

Depois do nascimento da sobrinha neta, a Milene, chegava a vez de eles serem avós, não havia dúvidas de que estavam a ficar velhotes

A Miquelina disse para o marido, ainda bem que vamos ser uns avós jovens, assim teremos mais tempo para estar com a nossa neta ou neto, podemos acompanhar o seu crescimento, e quem sabe, até poderemos vir a ver bisnetos

O Ezequiel disse-lhe que o melhor era não pensarem nisso, porque ainda não tinham netos e já estavam a falar de bisnetos

Mas, ela não quis dar a conversa por acabada, dizendo que se tudo corresse bem, os netos deles seriam uns privilegiados, para além de terem os avós, para os mimarem, também seriam criados pelos dois progenitores, o que não seria para todos, no futuro

Tempos virão, em que a maior parte das crianças será criada, apenas, por um dos progenitores, o que será mais uma discriminação, a juntar-se a tantas outras

As mães continuavam a aderir à inovação de deixarem os seus filhos na creche, começavam a acreditar que ficavam em segurança, protegidos de intempéries, os mais velhinhos brincavam uns com os outros, e elas ficavam muito contentes por verem como os filhos se sentiam felizes, naquelas brincadeiras, fazendo com que não chorassem, quando elas os deixavam na creche

Passaram, todas, a elogiar a criação da creche, da cooperativa, de toda aquela organização, que lhes proporcionava melhores condições de vida,  que faria com que se dedicassem ao trabalho com outra alegria, com vontade de fazer o melhor que soubessem, para aumentar a produção.

Continua

 

 

18
Jan24

O Império

cheia

O Império – As teias que o Império teceu

44

A chegada de portugueses e espanhóis às américas fez descer a temperatura da Terra

A colonização dos continentes americanos, que foi levada a cabo por portugueses e espanhóis provocou tantas mortes entre os povos indígenas que teve efeitos significativos no clima da Terra, levando a um drástico arrefecimento do planeta

Uma conclusão da University College London, Reino Unido

Dos cerca de 60 milhões de pessoas, que viviam nas Américas, no fim do século XV (cerca de 10% da população do mundo) diminuiu para apenas 5 ou 6 milhões, em cem anos (BBC/ZAP) (18/11/2023)

Este período de arrefecimento é conhecido por Pequena Era do Gelo, e foi uma época em que as tempestades de neve eram comuns em Portugal, e o Rio Tamisa, em Londres, congelava durante o inverno, com vários países europeus a viverem períodos de fome 

A Rosinha ouviu todos os membros das duas famílias, sobre o que pensavam ou sugeriam para modernizar os métodos de produção, para aumentarem a produção, uma vez que a cidade de Luanda, cada vez, precisava de mais produtos alimentares, devido ao aumento populacional

Por outro lado, queria aumentar o rendimento de todas as mulheres, que a eles se tinham  associado, acreditando nas qualidades da Rosinha, bem como da sua equipa, o que fazia com que todos estivessem muito empenhados, para não defraudarem as expectativas, que neles tinham sido depositadas

Começaram por construir novos utensílios para fabricarem a terra, todos contribuíram com as suas ideias, o que fez com que a produção duplicasse

Passado cerca de um ano, aquando da primeira colheita, foi muita a alegria, por verem os bons resultados

Nas sanzalas, ao redor da cidade, foram organizadas batucadas, para comemorarem e agradecerem àqueles dois casais as boas novidades

Mas a Rosinha, a Miquelina, o Januário, o Ezequiel e os seus filhos fizeram questão de dizer que não era obra deles, mas de todos os que se tinham associado, participando  naquela maravilhosa aventura

A Rosinha aproveitou os bons resultados, para numa assembleia geral, propor às suas associadas que se unissem noutras tarefas, como a construção das cubatas, os cuidados com os filhos, ou outras que elas considerassem que se podiam unir, para melhor funcionarem

Todas aplaudiram as suas propostas, prometeram pensar no assunto e, em nova assembleia, decidiriam, em conjunto, o que fazer.

Continua

 

 

03
Abr20

Os Portugueses

cheia

Portugal

 

“ O saber cura”

 

Foi agradável de ver

De Norte a Sul

O saber, a fazer

Tudo o que for possível

Para que possamos sobreviver

Das Universidades aos Institutos Politécnicos

Dos Centros de Investigação aos que deram as mãos

Todos estão a fazer das tripas coração

Para que tenhamos a produção

De material de proteção

Para todos, sem exceção

Ergueu-se uma Nação

Para mostrar quanto vale sua educação

Quanto Portugal é solidário

Nestes momentos mostramos do que somos capazes

Precisávamos de ser mais eficazes

E, se fossemos mais eficazes!

Seríamos menos criativos?

Já se sabe que a perfeição não existe

Portanto, muito obrigado, amigos

Por tudo quanto estão a fazer

Para que em breve

Voltemos, de novo, a viver.

 

José Silva Costa

 

 

 

 

 

 

 

 

 

16
Fev20

Incerteza

cheia

Covid-19

 

O Mundo está dependente do Covid-19

Mais de mil e quinhentos mortos, muitas pessoas de quarentena em navios, hospitais, residências

Eventos mundiais cancelados, medos por todos os lados

Num ano de jogos olímpicos, em que todos os segundos contam

Há atletas parados, prejudicando a sua preparação para a competição

Cidades, fábricas, casinos, tudo parado, como nunca se viu

Pessoas levadas à força das suas habitações, para ficarem de quarentena

Os países que vivem do petróleo, também fazem contas à vida

Não se sabe como e quando esta situação vai acabar

Mas, muito sofrimento está a causar

Por todo o Mundo, tudo o que vem da China, é olhado como perigoso

Toda a China está de quarentena

As Universidades pediram a professores e estudantes estrangeiros, para regressarem aos seus países

Muitas companhias aéreas suspenderam as viagens para a China

Como a produção, das grandes fábricas, de quase todo o mundo, foi deslocada para a China

Pode acontecer uma grande quebra na produção e levar o mundo para mais uma receção

Esperemos que em breve consigam travar esta mortandade

Para que todos possamos voltar a ter liberdade.

 

José Silva Costa

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2010
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2009
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2008
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2007
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub