Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

cheia

cheia

09
Mai21

A Europa!

cheia

Dia da Europa

 

A nossa bela Europa

Tem um dia, a ela, dedicado

Para que cada dirigente

Se sente à volta de uma mesa

Para beberem uns copos

Em honra da sua gente

E proclamarem solenemente

Que mesmo aos solavancos

Ela seguirá em frente

Enquanto isso acontecer

Pode ser que não peguem em armas

Para se matarem, novamente

Com a saída, do Reino Unido, da C.E.

Os peixes não sabem onde pôr o pé

Fazendo com que os pescadores

Franceses e britânicos já agitem a maré

Brindemos aos 27, para que se mantenham de pé

Transmitindo, aos seus povos, fé

Para que não se revoltem

Não exijam, mais uma vez, um banho de sangue

Não há nada que pague a Paz!

 

José Silva Costa

25
Abr20

Em confinamento

cheia

46 anos

Foi a madrugada mais radiosa, que nasceu

As balas foram substituídas por cravos vermelhos

Quando a madrugada rompeu

Lisboa foi acordada pelos carros de combate

A cidade, de medo, estremeceu

Mas, quem os mandou disparar, não venceu

Porque o atirador não obedeceu

Não quis manchar o dia que, tão radioso, apareceu

O povo ocorreu à rua

De peito afogueado, com medo que algum passo fosse maldado

Quando o sol raiou, uma senhora, um cravo vermelho, colocou

No cano de uma espingarda G3

O povo sorriu e aplaudiu

Estava quebrado o vazio

Um punhado de militares acabava de derrubar uma ditadura de meio-século

E um império de cinco séculos

Nos cinco cantos do mundo, houve choros e desejos

Que do velho império, nascessem povos inteiros

Que finalmente regressasse a paz

Foi um parto muito doloroso e difícil

Após treze anos de guerra

Valeu-nos o cansaço da espera

Para que sete povos decidissem os seus destinos

As transições são quase sempre, difíceis e dolorosas

Mas com disse uma futura rainha de Portugal:

“ Vale mais ser rainha por um dia, do que duquesa toda a vida”.

 

José Silva Costa

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

06
Jun19

O dia D

cheia

O Dia D

Há 75 anos começava o princípio do fim da segunda guerra mundial

Foi um esforço enorme, de uma grande parte do mundo, para combater os alemães

É bom que reflitamos sobre o que foi viver, na Europa, durante as duas guerras mundiais!

Para que quando formos chamados a decidir, que europa queremos, estarmos preparados

Agora que alguns parecem, estar com saudades desses tempos

Quando propõem a saída da União Europeia, ou do Euro

Como se a construção desta união não tivesse levado muitos anos e não fosse benéfica para todos!

Não está acabada, não é a ideal! Mas, é o melhor que conseguimos fazer até hoje

Querem voltar a fechar as fronteiras, ao passaporte, à moeda nacional, ao orgulhosamente sós!

Hoje, o mundo está interligado: transportes, comércio, telecomunicações, etc.

A UE permite-nos viajar, trabalhar, negociar, residir, num qualquer país da união

Portanto, não compreendo o fervor dos nacionalismos, dos egoísmos, das separações

Ninguém se deixe enganar com as falsas promessas de que podemos voltar a viver, como no tempo do colonialismo

À conta da exploração dos outros!

A Europa precisa de solidariedade, igualdade, fraternidade, porque esse é o preço a pagar, pela paz

A Europa é o farol! Em nenhum outro local, por muito que a denigram, se vive, como na velha Senhora.

Apesar das desigualdades, de todas as diferenças, de todas as dificuldades, continuo a acreditar numa Europa Federalista

Só vale a pena viver, quando se luta, para que todos tenham uma vida digna, mesmo que digam que é impossível!

 

José Silva Costa

 

 

 

 

 

 

 

13
Mai19

A Europa

cheia

Europa, 74 anos depois

A velha senhora, a jovem moça, a mulher feita

Por estes dias celebra os setenta e quatro anos do fim do massacre a que foi sujeita

Deveria ser uma festa perfeita, mas nuvens negras voltam a toldar o céu europeu

Quem é que de tanto horror, já se esqueceu!

Lá porque, depois, nasceu, não é desculpa, para ignorar o que aconteceu

O holocausto não foi só para quem era judeu

Todos os povos, da Europa, muito sofreu.

Ao fim de sete décadas, parece que há, quem já se tenha esquecido!

O sofrimento e a destruição foram de tal dimensão

Que um estadista – Robert Schuman - procurou uma solução

Em vez de se guerrearem deviam cooperar

Em 18/4/1951, Alemanha, França, Bélgica, Luxemburgo e Holanda criaram a Comunidade Europeia do Carvão e do Aço

Estava aberto o caminho para a União Europeia

A coisa mais maravilhosa, que os europeus criaram

Por ser um projeto de solidariedade e cooperação

Mas ao fim destes anos, voltaram os egoísmos e os nacionalismos

As barreiras de arame farpado

O Reino Unido não sabe qual é o seu lado!

Um espaço onde, livremente, podemos viajar, trabalhar, viver

Com uma moeda no bolso que não é preciso cambiar

É uma longa construção, que espero vá, por muitos anos, continuar

Viver em paz, progresso e harmonia é um privilégio

Que não devemos menosprezar

Neste planeta todos temos de ter lugar.

José Silva Costa

 

 

 

 

 

 

 

15
Ago16

Oa anéispão

cheia

Os Anéis

Os cinco anéis que representam o Mundo: Jogos Olímpicos

Há quem diga mal: desperdício de recursos humanos e materiais

Há o que aplaude: o Mundo num só local!

Nos do Rio 2016, mais de duzentas nações em competição

Num esforço sobre-humano, que só, a vã glória nos consegue obter

Que importa morrer ? Se, “por feitos valorosos se vão da lei da morte libertando” (Camões, nos Lusíadas)

Uma festa Mundial, como uma familiar é sempre de aplaudir

Tudo bem, quando seja para nos unir

Ainda, que o Mundo pareça estar a ruir

Tanta dor, tanta morte, tanta vingança, tanto ódio, tanta guerra!

Se o mundo é tão bonito e acolhedor, quando há paz e pão, na Terra.

 

 

José Silva Costa

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub