Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

cheia

cheia

11
Out19

Perdão!

cheia

Perdão e restruturação

Um perdão de 70 cêntimos, por cada euro emprestado!

Falam em restruturação, para criarem a confusão

O que se trata, é de um perdão de 95 milhões!

Feito por dois Bancos, um dos quais, comtemplado com muitos milhões dos contribuintes!

Mesmo assim, dá-se ao luxo de perdoar milhões, ao SCP.

O FCP. Já veio reclamar, por o SCP. estar a ser beneficiado

Tudo é perdoado, tudo é dado ao futebol!

Porque, “ os Grandes Adeptos” são figuras ilustres da Nação

Presidentes da República, Primeiros-Ministros, Presidentes de Câmara, Deputados

Alguns Clubes de Futebol têm recebido, não só dinheiro, como terrenos Municipais

O fanatismo, pelo futebol, é tão grande, que, mesmo pessoas, bem formadas, inteligentes e íntegras, quando se trata de beneficiarem os seus Clubes, não olham a meios para atingirem os fins!

Ninguém tem o direito de utilizar o dinheiro dos contribuintes, para financiar o futebol, onde se praticam escandalosos ordenados, para dirigentes e futebolistas!

Para creches, saúde, educação, retirar o amianto dos edifícios públicos não há dinheiro

Quantos terão, ainda, de morrer, para cumprirem a promessa de limpar os edifícios?

O futebol está acima de tudo!

Para o futebol há tudo!

 

José Silva Costa

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

12
Jun19

Transportes

cheia

Nortada

Mais umas operações da Judiciária

Para ver se põe o país nos carris

Porque a ética anda muito infeliz

Enquanto a corrupção, nunca foi tão feliz

Ai, meu pobre país, que isto não acaba mais!

Todos os dias, novos processos, por suspeitas de corrupção

Quando é que dão uma alegria, à Nação!

Anunciem que controlaram a corrupção

Que não há mais nenhum lugar, em nenhuma prisão

Não podemos continuar a gastar tudo com a corrupção

Temos de, o dinheiro, desviar, para a inovação

Para que Portugal venha a ser uma grande Nação

Para que não sejamos, apenas, conhecidos pelo futebol

De navegadores, passámos a jogadores

Precisamos de passar a inovadores.

José Silva Costa

 

03
Jul18

Beijos e abraços

cheia

O IP3

 

Há um ano, os incêndios ceifaram a vida a mais de uma centena de pessoas, o que levou com que os políticos e o país descobrissem o interior

Há um ano que todos os dias, todos os políticos visitam as zonas destruídas, distribuindo beijos, abraços e promessas, como se as pessoas não precisassem de mais-nada

Agora, finalmente, foi anunciada uma obra de 134 milhões de euros, mas só para o ano que vem: a reconversão do IP3

Uma estrada, cujos projetistas e todos os responsáveis, pela mesma, deveriam ser condecorados, pelo trabalho exemplar: a estrada da morte

Os grandes investimentos, no interior do país, são sempre muito escrutinados, pelos pensadores, que vivem na capital.

O mesmo não acontece quando se trata de enterrar milhões no futebol, como aconteceu com os novos dez campos de futebol, do euro 2004, que alguns nem sequer conseguem dinheiro para a sua manutenção, quanto mais para a amortização.

Quanto tive de ouvir e ler por causa do Porto de Sines, durante muitos anos apelidado de elefante branco!

Hoje considerado um investimento estratégico

Com a barragem do Alqueva, décadas e décadas de discussão, sem que alguém tomasse uma decisão

O mesmo está a acontecer com o aeroporto de Beja: a maior pista de aviação do país

Há dias serviu de recurso para a descolagem de um voo chater, que não conseguiu horário no aeroporto Humberto Delgado

Os passageiros reclamaram e com razão, mas espero, que um dia o aeroporto de Beja, ainda tenha uma solução feliz

E, pergunto,qual a razão para que Beja seja a única capital de distrito, que não tem uma autoestrada?

 Hoje, todos os oplíticos se dizem interessados em desnvolver o interior do país, projetos não faltam!

Mas, infelizmente, são só para ingles ver e caçar votos, porque as eleições estão à porta.

José Silva Costa

 

 

 

 

 

20
Jun18

O sonho americano!

cheia

Que interessa!

 

Que interessa que os professores façam greve às notas, aos exames, ou às aulas!

Se temos futebol vinte quatro horas, por dia

Que interessa que os políticos tenham escolhido esta altura, para falarem de demografia, natalidade, défice demográfico!

Se ninguém os houve, porque estão todos sentados em frente aos televisores, a chorarem ou a rirem, de boca aberta, à espera que uma bola lhes acerte

Que interessa falar de natalidade!

Se não dão, aos que podem fazer filhos, as condições, para os criarem

Por que razão culpam a eutanásia de matar os velhinhos?

Se este ano, nos primeiros dias, o frio congelou cinco ou seis mil, por dia, para sempre

Que interessa aos mais de dois milhões de pobres, que lhes deem oportunidade de se empanturrarem de futebol, se eles não têm TV. Sport

O que deveria ter sido feito, não foi, porque os políticos não têm coragem de o fazer

Terem decretado, em Janeiro, que este ano, todos os portugueses tinham de passar férias de quinze de Junho a quinze de Julho, para poderem ver o campeonato do mundo de futebol

A fim de não perturbar o nosso glorioso crescimento económico, que tanto prestigio nos tem dado, ao ponto do Ministro das Finanças, para Presidente do Euro-grupo, ter sido nomeado

Todos os canais de televisão estão a abarrotar de ex-futebolistas, de comentadores de futebol, de doutorados em futebol, nada mais há para ver ou discutir

Que interessa que haja milhões de vidas em perigo, no alto mar!

Se a União Europeia se transformou numa desunião, em que são mais os que se recusam em receber os migrantes, do que aqueles que os querem receber!

Valeu-nos o bom exemplo de Espanha, para podermos ver sorrisos desinteressados de crianças, que sem saberem o que estava a acontecer, exibiam o pouco que tinham, com a mais pura alegria

Que interessa o sonho americano!

Se um tirano

Afasta, os filhos, dos pais

Para os traumatizar, para sempre.

 

José Silva Costa

 

 

 

28
Mar17

Ora, bolas!

cheia

Ora, bolas!

 

Como tudo está mudado!

A violência futebolística, já tem honras de estado

As claques têm imunidade

Podem praticar toda a barbaridade

Desporto, já não existe!

Só o dinheiro persiste

Os dirigentes são bem o exemplo:

Da intolerância, da malvadez e má educação

São os donos da Nação

A quem os fanáticos beijam a mão

Todos os políticos toleram a sua brutalidade

Na esperança de amealhar a sua amizade (votos)

Já nem a seleção consegue unir a violência autorizada

A que pomposamente chamam claques.

 

 

José Silva Costa

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D