Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

cheia

cheia

21
Jul19

Topo

cheia

A Corrupção

Até que, enfim! A corrupção chegou ao topo

Numa sondagem, os portugueses mencionaram a corrupção, como segunda preocupação

Logo a seguir à saúde!

Os políticos estão, sempre, a desvalorizá-la

Mas, agora, têm de ir a reboque da opinião pública

Na próxima campanha eleitoral, o seu combate vai ser bandeira de todos os partidos

Mesmo que seja, só, mais um promessa eleitoral

Nos últimos anos, é que alguns se aperceberam da sua dimensão

Quando viram, todos os dias, pessoas detidas, para interrogação

Os relatórios dos organismos internacionais não se cansam de a divulgar!

As pressões do Governo não têm sido suficientes, para os apagar

A corrupção, em Portugal, chegou a ser a normalidade!

Quem não colaborasse era olhado com desprezo

Há outra bandeira inquestionável, nas próximas eleições

As alterações climáticas

Esta, imposta pelos jovens, que já perceberam que têm de lutar pelo seu futuro

Porque os políticos falam, falam, mas nada de ações

Presos no seu conforto, têm medo de afrontar os poderosos

Vão gerindo o presente

Fazendo com que o futuro fique descontente.

 

José Silva Costa

 

 

 

26
Jun19

Limpezas!

cheia

Todos os dias

Todos os dias, a Polícia Judiciária, convida alguns cidadãos

A acompanha-la, para serem interrogados, por suspeita de corrupção

Que está tão enraizada, que levou o Conselho da Europa

A dizer que nós ficámos atrás da Grécia, da Turquia, da Roménia

Na implementação das recomendações, para a sua prevenção

Num só dia foram vinte e sete!

Catorze empresários, muito preocupados, com o estado dos cofres das Finanças

A abarrotarem, devido as cativações

Inventaram um esquema, nisso nós somos muito bons!

Para ajudarem a esvaziar os cofres, não entregando o IVA, cobrado

Para que os cofres pudessem ser limpos!

Quem é que gosta de dinheiro sujo!

As outras treze lembraram-se de se intitularem de enfermeiros e trabalhadores da Segurança Social

Deslocavam-se por todo o país, abordando os idosos entregues à sua sorte

Dizendo-lhes que iam a mando da Segurança Social e das paróquias

Para os ajudarem nas limpezas e toma dos medicamentos

Alguns idosos ainda disseram: ” até que em fim!

Que alguém se lembrou de nos ajudar a levar a vida atá ao fim”

Os tarefeiros eram maioritariamente do sexo feminino

Enquanto umas se encarregavam de explicar, aos idosos, os propósitos

As outras avançavam para a limpeza, das coisas que não limpam todos os dias

O ouro, as pratas, o dinheiro

Em pouco tempo se apercebiam das reais intenções dos intrusos

Ficando muito confusos!

 

José Silva Costa

 

 

 

 

 

 

 

 

29
Jan19

O brinquinho

cheia

O brinquinho

Portugal! O brinquinho da Europa

Dá sinais de querer ficar melhor, na fotografia

Mas, as notícias que veem de fora não ajudam

Continuamos a subir no ranking do consumo do álcool, ultrapassámos a Rússia!

Também subimos mais um ponto no índex da Transparência Internacional (64 pontos, 30ª posição)

Apesar de termos a perceção de que, nos últimos anos, a PGR, tem tido melhores resultados, as notícias, que nos chegam de fora, dizem que há anos que estamos estagnados no combate à corrupção

Há quem diga que falta vontade política para atacar o problema

Nem a prisão de um ex-ministro e o início da fase de instrução da Operação Marquês, para sabermos se um ex-primeiro-ministro vai a julgamento, nos fizeram melhorar a nossa posição

O que não é de espantar, porque todos os dias somos inundados com notícias de julgamentos de processos de corrupção, de norte a sul do país

Quanto às praxes, para uns uma tradição, para outros atos de barbaridade, com várias mortes e muitas humilhações, sem condenações, a Marinha exonerou dois comandantes, devido a praxes na Escola Naval

Espero que seja um bom sinal, para acabar com práticas que levam à morte ou humilhação, que tão desnecessárias são.

 

José Silva Costa

 

 

 

 

 

 

 

 

10
Nov18

O sonho

cheia

Futuro

Tu, que nasceste fora de um muro

Não dás valor à liberdade!

Ver as maiores barbaridades e não poder dizer nada

Só respirar no intervalo do assobiar das balas

Todos agarrados ao medo

Sem saber o que é um emprego

Ninguém aguenta o desespero

Por muito que custe, decidem fugir

Agarram nos filhos e metem os pés ao caminho

Sem saber o que vai acontecer, qual o rumo

No infinito da noite, os filhos querem saber

Qual a razão de deixarem as suas casas

Quando voltam a ver os amigos e brinquedos

Quem é que lhes consegue responder!

Se o futuro está no escuro

A terra onde nasceram, não os quer!

 

José Silva Costa

 

 

 

 

 

 

26
Abr17

Os velhos partidos

cheia

Os velhos partidos

 

Terão os velhos partidos, os dias contados?

Depois do que aconteceu na Grécia, Itália, Espanha, e, no domingo passado, para as eleições presidenciais francesas, em que um dos candidatos que passou à segunda volta, não teve máquina partidária a apoia-lo.

Estarão os eleitores fartos de promessas não cumpridas?

Os velhos partidos meteram os ideais na gaveta, deixaram-se capturar pelo grande capital, pela corrupção, e descuraram a regulação, deixando que a globalização ditasse as regras, criando uma crise, que levou bancos e estados à falência.

Como, na CE, os bancos não podem falir, para não descredibilizar o sistema bancário, o que fez com que os portugueses já tenham pago vinte e um mil milhões de euros, de prejuízos dos bancos, os que mais pagaram, para os bancos, na CE.

São mais vinte e um mil milhões de euros a somar à nossa enormíssima dívida pública.

Ao invés do que aconteceu em 1910, em que a ética republicana não permitia, que os seus defensores se sentassem à mesa do orçamento, fazendo com que alguns morressem à fome, hoje, mal se sentam na cadeira do poder esquecem a ética, e isso fez com que Portugal perdesse muito do dinheiro, que recebeu, da CE, para se modernizar.

Quem é que não viu, milhões de euros para empresas, sindicatos e outros, que se candidataram a fundo perdido, desviados para carros de luxo, casas, etc.

Com esta CE, em que os políticos não ouvem quem os elege, fechando-se nas suas redomas, onde gizam condecorações e mordomias, para distribuírem entre eles, ainda será possível a sua regeneração, fazendo com que os eleitores não entreguem o poder a quem quer acabar com setenta anos de progresso?

 

José Silva Costa

15
Out16

A Senhora

cheia

A Senhora corrupção

 

A senhora corrupção é a mais poderosa desta nação

Na sua confederação cabem todas as profissões:

Sucateiros, engenheiros, doutores, juízes, aprendizes e até robalos com vara de loureiro, para dar mais gosto ao cozinhado

A judiciária não tem mãos a medir: são faturas falsas, receitas falsas, cartas de condução falsas .......

São só esquemas para roubar e tentar, os outros enganar

De vez em quando este tema entra em ebulição

Obrigando os partidos a entrarem em ação

Prometem maravilhosas leis, cada um com a sua versão, mas até à data, nada

Quando aparece um deputado mais renitente, arranjam maneira de o expulsarem, para o estrangeiro

Este ano, nas comemorações do dia da implantação da República, o Presidente, tocou na ferida

“Há casos a mais e princípios a menos”

Mas, nem esquerda nem direita reagiram

Portanto, a Senhora corrupção pode estar descansada

Porque, por parte dos partidos, não lhe acontecerá nada.

Assim, vai continuar a ser a Senhora mais respeitada, mais admirada e mais adorada.

 

 

 

 

 

15
Abr16

Ajuste direto

cheia

Por que razão não acabam, de vez, com o ajuste direto?

Porque é uma maneira de favorecerem os amigos e, em certos casos, até os inimigos: dá para todos.

Tal como as leis para prevenir a corrupção, que, muito trabalho dá a polícias, advogados e juízes.

De, quando em vez muito badaladas, mas que nunca conseguiram ser aprovadas!

Quem faz e aprova leis, ia-se incriminar?

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D