Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

cheia

cheia

14
Nov22

As ruas

cheia

A minha rua

 

Em cada rua, cada casa tem dentro corações atentos

Na palpitação de quererem aproveitar os melhores momentos

Cada qual nutre-se dos melhores e encantadores sustentos

 Lá fora ninguém sabe o que se passa nos apartamentos

Nem todos os dias são longos, com discussões e cinzentos

Há dias em que brilha o vento, há beijos e abraços, há movimentos

Se as paredes falassem, poderiam contar como são celebrados esses eventos

A ternura, a delicadeza, a beleza para eternizar, do coração, todos os batimentos

As mãos entrelaçadas nos beijos das bocas queimadas pelos pensamentos

Os corpos diluídos, no calor de um grito contido, na explosão de todos os ventos

Não há tempo para rodopiar por todos os cantos e assentos

O amor é tão forte que consegue sobreviver até nos conventos

Por muito que o queiram pender, ninguém consegue conter os seus empolgamentos

A minha rua é dona da lua, nas noites quentes, frias e nos dias sonolentos

Cada um tem uma rua, a que chama sua, mesmo em dias de aborrecimentos

Enquanto a rua dorme não há beijos, nem abraços, nem cumprimentos

É como se todos tivessem assinado um acordo de paz e bons entendimentos

Para que a madrugada acorde alegre, contente, eufórica, para novos envolvimentos.

 

José Silva Costa

 

 

 

 

11
Jul22

Lisboa!

cheia

Lisboa

Lisboa, cidade da Madragoa

Da gente Saloia

De todo o reino sem coroa

Namoradeira do Tejo

De todos: do Norte, do Centro e do Sul do Tejo

Que felicidade quando te vejo!

Depois de calcorrear todo o mundo e te desejo

Esteja onde estiver, volto ao um cais

Apanho uma caravela e desfraldo a vela

Mal entro a barra, olho-te da cabeça aos pés

Como se nunca te tivesse visto

As Amoreiras estão um encanto

Mas não me esqueço que eram os elétricos que descansavam naquele recanto

A Estrela será para sempre um ponto de encontro

Para muitos, o último

Mais abaixo o Parlamento

Onde todo o país está representado

Antigamente tão calado!

Hoje, com as pronúncias de todo o Estado

Aos pés do Príncipe Real, o irreconhecível Bairro Alto

Ninho de rameiras tornou-se num bairro de barulheiras

A Graça contínua com a sua graça

Junto ao rio já não há marujos nem becos sujos

Desentaiparam-no para que todos possam beneficiar do seu olhar

Onde todos se podem despedir dos barcos que se fazem ao mar

A oriente a refinaria da Sacor deu origem ao parque das nações

Foi-se o fumo, ficaram as recordações

A Expo 98 ficou nos nossos corações.

José Silva Costa

 

25
Ago20

Redes!

cheia

As redes sociais

 

Tantas vezes elogiadas

Tantas vilipendiadas

São as mais belas estradas

Por todo o mundo atravessadas

Onde todas as pessoas estão sentadas

A percorre-las, animadas

Por um fio ou satélite, guiadas

Quando bem utilizadas

Tantas amizades encontradas

Tantas mensagens divulgadas

Tantas distâncias encurtadas

Tantas perguntas respondidas

Tantas oportunidades aproveitadas

Tantas ajudas pedidas

Muitas são atendidas.

 

Uma jovem portuguesa, a viver no Reino Unido, fez um pedido nas redes sociais

Quer estudar matemática numa, Universidade, boa

Mas não tem meios, para o sonho concretizar

Conseguiu tocar alguns corações, entre eles, o da cantora Tayllor Swift

Que lhe doou 26.000,00 €

Se conseguir concretizar o sonho

E todos os que a ajudaram souberem

Vai ser um momento de muita felicidade, para todos.

 

José Silva Costa

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2022
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2021
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2020
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2019
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2018
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2017
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2016
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2015
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2014
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2013
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2012
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2011
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2010
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2009
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2008
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2007
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub