Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

cheia

cheia

18
Abr24

O Império

cheia

O Império – As teias que o Império teceu

56

 O Januário e a Rosinha continuavam sem darem pela passagem dos dias, na companhia da neta, de tudo o resto se abstraíam 

Queriam aproveitar todos os bons momentos do seu crescimento que, para os pais e avós, são de ternura e encantamento

A Leopoldina e o Jeremias agradeciam a disponibilidade dos avós, podendo, por isso, dar mais atenção aos assuntos da cooperativa, que geriam com tanta dedicação, na esperança de poderem dar melhores condições de vida a todas as cooperantes

Como todos os casais tinham muitos filhos, era muito difícil ver melhorias, apesar de todo o empenho, de todos

Mesmo com toda a dedicação, era muito difícil aumentar, muito, a produção, e isso preocupava a Leopoldina, que se esforçava para que todos contribuíssem com os seus conhecimentos sobre as diversas culturas: milho, mandioca, batata-doce, jinguba (amendoim)

A Milay e o Zacarias disseram, à Miquelina e ao Ezequiel, que estavam à espera de um bebé, os futuros avós não podiam ter tido melhor notícia

Depois do nascimento da sobrinha neta, a Milene, chegava a vez de eles serem avós, não havia dúvidas de que estavam a ficar velhotes

A Miquelina disse para o marido, ainda bem que vamos ser uns avós jovens, assim teremos mais tempo para estar com a nossa neta ou neto, podemos acompanhar o seu crescimento, e quem sabe, até poderemos vir a ver bisnetos

O Ezequiel disse-lhe que o melhor era não pensarem nisso, porque ainda não tinham netos e já estavam a falar de bisnetos

Mas, ela não quis dar a conversa por acabada, dizendo que se tudo corresse bem, os netos deles seriam uns privilegiados, para além de terem os avós, para os mimarem, também seriam criados pelos dois progenitores, o que não seria para todos, no futuro

Tempos virão, em que a maior parte das crianças será criada, apenas, por um dos progenitores, o que será mais uma discriminação, a juntar-se a tantas outras

As mães continuavam a aderir à inovação de deixarem os seus filhos na creche, começavam a acreditar que ficavam em segurança, protegidos de intempéries, os mais velhinhos brincavam uns com os outros, e elas ficavam muito contentes por verem como os filhos se sentiam felizes, naquelas brincadeiras, fazendo com que não chorassem, quando elas os deixavam na creche

Passaram, todas, a elogiar a criação da creche, da cooperativa, de toda aquela organização, que lhes proporcionava melhores condições de vida,  que faria com que se dedicassem ao trabalho com outra alegria, com vontade de fazer o melhor que soubessem, para aumentar a produção.

Continua

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2010
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2009
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2008
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2007
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub