Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

cheia

cheia

31
Mar22

Flores em março!

cheia

Flores em março

 

São flores, são flores, para suavizarem os amores

Mais flores, mais flores, menos dores

Nesta primavera de horrores, mais flores, mais flores

Contra a cegueira dos que agitam os tambores

Para todos os heróis, mais, mais flores de girassóis

Para a embustice todos os anzóis

Mais flores, mais flores para todos os sóis

Aos agressores, ninguém dê flores!

São os autores de todos os rancores

Para quem a sua pátria defende, mais, mais flores

As maiores dores, pra todos os impostores

Para quem teve de abandonar o seu doce lar, mais, mais flores

 Todas as condenações para os usurpadores

Para quem está a ajudar, todos os que tiveram de abandonar o seu país, mais, mais flores

Todos os agressores terão de dormir, com os gritos dos homens, das mulheres e crianças, que mataram

Com a condenação, da maior parte do mundo, pela brutal barbaridade que estão a cometer

Para todo o sempre, ficarão responsáveis e nunca ninguém lhes perdoará os crimes

A invasão e destruição de um país a quem roubaram a paz, o trabalho, o pão

Mas, não foi só uma nação, que sofreu os efeitos de uma guerra sem sentido, foi todo o mundo

A tragédia foi ainda maior, fazendo com que os recursos, que poderiam ser utilizados para uma vida melhor das populações, sejam afetados ao esforço de guerra, na fabricação de mais material de guerra e mais letal, sabendo que todo esse material só servirá para o mal: a guerra

Mas, os efeitos desta barbárie podem, também, mais direitos dos cidadãos ofender, fazendo com que alguns países já comecem a voltar a instituir o serviço militar obrigatório

Não era tão bom, vivermos em paz

Sem sermos obrigados a ir para a tropa

Gastando o dinheiro em coisas mais úteis

Ajudar os mais desfavorecidos, reduzindo a pobreza!

José Silva Costa

 

 

 

28
Mar22

Um mês!

cheia

Um mês!

 

A primavera chegou triste, chuvosa, nervosa, de luto

O Mundo unido contra a barbárie nunca vista

Até o magma está revoltado, tendo-o, nos vulcões, mostrado

Ninguém consegue continuar a ver esta chacina a acontecer

Tem de haver qualquer coisa mais, que possamos fazer

Não podemos continuar a ver homens, mulheres, crianças a morrer

Este é um Mundo para viver, e não para o mal vencer

Levante-se o sol, a lua e o mar para esta estupidez parar

O mar não consente, que no seu seio continue, o perigo, a navegar

Este março é para, da história, nunca mais apagar

O que está a acontecer não é para alguma vez esquecer

Abril parece trazer tréguas. Mas com quem mente é de desconfiar

Não conseguiu, toda a Ucrânia, abocanhar, talvez tenha de esperar

Graças à determinação de um povo que não quer, o seu país, abandonar

Tendo-se mobilizado para, o inimigo, rechaçar

Há vizinhos com quem não se pode confraternizar

O melhor é não lhe franquear nem a porta, nem a rua

Se possível, apagar-lhes a lua

Dizer-lhe que na amizade não cabem ajudas indesejadas

Que essas ajudas são mais que facadas

São mortes, destruição, mentiras, anexação

Um lobo disfarçado de cordeiro, a matar um povo inteiro, a arrasar uma nação

Cada dia de guerra é uma eternidade

Não bombardeiem mais a cidade

Não matem toda a mocidade

Todos têm direito a um minuto de felicidade.

 

José Silva Costa

 

24
Mar22

Primavera!

cheia

Primavera 2022

Primavera: luz, bonita, florida, alegria, vida

Todos os anos renasces, com novas cores

Rainha, formosa, flores, amores!

A tua chuva vai lavar a Natureza, dar-lhe mais beleza

Todos estão gratos pela tua pureza

Pela chuva, que nos trouxeste, com tanta leveza

Não há maior riqueza!

Do que as gotas de ouro que estás a espalhar pela Natureza

Como ela te agradece, a vida que lhe trouxeste

Sem água não há vida!

Por muito que gostemos das tuas flores, dos teus perfumes

A tua chuva é muito bem-vinda

Mesmo que muitos esperem de ti: sol, flores, calor, risos, abraços e beijos

Este ano fizeste uma exceção, começaste por dar de beber a quem tinha sede

Oxalá não te esqueças de, em Abril, mandares águas mil

Para que os campos sejam mais felizes.

 

José Silva Costa

 

 

 

 

23
Mar22

Boa sorte, Princesa

cheia

Erasmo!

 

 

Boa sorte, Princesa

A minha neta, mais velha, viajou hoje para a Alemanha, vai fazer Erasmo, na Universidade de Leipzig, a mesma onde estudou a Ex-Chanceler da Alemanha, Merkel

Em breve teremos uma engenheira física, na família

A cooperação entre países, ao contrário da invasão, pode contribuir para uma melhoria de vida dos seus habitantes

Se conseguíssemos trocar a vingança pelo perdão, então, o Mundo faria sentido!

Foi a Paz, foi a UE., que fizeram com que os jovens possam beneficiar deste intercâmbio, tornando-se cidadãos do mundo

Não nos bastam as calamidades naturais?

Faz sentido, matarmo-nos uns aos outros, destruir tudo o que, com tanto sacrifício, foi construído ao longo dos séculos?  

E, até as religiões, que deviam contribuir para as uniões, têm provocado tantas, sangrentas, guerras, como está a acontecer na Ucrânia, em que há uma igreja, que defende a guerra como purificação

O Homem é o maior perigo!

 

José Silva Costa

21
Mar22

Poesia e Primavera

cheia

Poesia

 

Flores, amores, mar, maresia

Hoje, é o teu dia, mas todos dias devem ser dias de poesia

A harmonia, a alegria, a empatia deviam, sempre, fazer parte do dia

Os sorrisos das crianças, os seus abraços e beijos são a mais bonita fantasia

Os voos das aves, as suas melodias, os seus acasalamentos são bonitos movimentos

As árvores vestem-se de novo, há um perfume viçoso

A Primavera irradia uma luz cintilante, há um ambiente diferente, no horizonte

Toda a Natureza mostra a sua exuberante beleza

Nesta Primavera de guerra acesa: as mortes, a destruição, são mais uma lição

Para termos muita atenção a todas as guerras, porque delas nunca vem coisa boa

Há sempre quem queira justifica-las, mas nenhuma tem justificação

O pão, a razão, a ambição enfurecem a multidão

Mas, a poesia, essa não, procura a beleza, a sensibilidade, o amadurecimento, a idade!

Há quem desdenhe de ti, culpando-te pela falta de produtividade

Mas muitas empresas já chegaram à verdade, sabem que podes contribuir para a felicidade

Não é na brutalidade de muitas horas de trabalho, que está a chave

Mas na criatividade, na realização pessoal, no ambiente saudável

Podem dizer e fazerem o que quiserem, mas tu vais resistir

Como tens resistido ao longo dos séculos

Amanhã, vão esquecer-te, de novo, e só vão falar de ti, novamente, daqui a um ano!

 

 

José Silva Costa

  

18
Mar22

Choro!

cheia

O Choro

 

Os canhões romperam o céu

Mataram todas as estrelas

A alegria, também, já faleceu

À Ucrânia, o mundo acorreu

Para ajudar quem muito sofreu

A solidariedade não cedeu

O ditador, há muito enlouqueceu

O mundo adormeceu

No início, não reagiu

Quando ele anexou a Crimeia

Agora, a Ucrânia incendeia

Em todo o mundo, o terror, semeia!

A China deu-lhe uma boleia

Obrigando-o a começar a guerra depois dos jogos Olímpicos

Todos os ditadores são cínicos

Mandou invadir a Ucrânia, dizendo que a ia ajudar

Mas ninguém conseguiu enganar

As crianças começaram a chorar

As mães não as conseguiram calar

As suas casas e o país tiveram de abandonar

Porque o choro fez os rios transbordarem

A UE também lhe deu uma ajudinha

Dez países da EU venderam armas à Rússia

Depois da anexação da Crimeia, em 2014

O negócio das armas é uma coisa muito feia

Sem ele não havia guerras, volta e meia!

Gente inocente morre por causa desta gente

Que fabrica armas e as vende

E, a opinião pública consente!

 

José Silva Costa

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

 

 

 

 

 

 

  

 

14
Mar22

Separação!

cheia

Despedida

 

O desespero de quem tem de partir

Da guerra teve de fugir

Sem saber para onde ir

Com o filho no regaço

Sob um nevão que corta a respiração

Cansada da longa caminhada

O filho dá-lhe força, para tudo vencer

Tudo fará para o proteger

Para o ajudar a crescer

Acompanha-a o perfume do último abraço

Do marido, que teme não o voltar a ver vivo

Sem marido, sem pátria, como vai criar o filho, querido!

Tenta afastar os negros pensamentos

Mas, nada de bom anunciam os ventos

São os constantes bombardeamentos

A destruição dos apartamentos

Uma guerra a contaminar os tempos

Mortos, valas comuns, movimentos

Só queria esquecer tudo, por uns momentos

Mas, não lho consentem, os pressentimentos

Por que razão a loucura voltou?

Sem dó, nem piedade, tudo matou

A esperança, a vida, a alegria

Tantos mortos, feridos, deslocados

Mulheres e crianças, de frio, arrepiadas

Por essa Europa, espalhadas

Acarinhadas por uma Europa, desta vez, unida

Para ajudar a sarar a ferida.

José Silva Costa

 

 

 

 

 

08
Mar22

Dia Internacional da Mulher

cheia

Dia Internacional da Mulher

 

Mães, Irmãs, Namoradas, Esposas, Filhas

Aquelas com que o Mundo pode contar

Para que seja habitável, mais alegre e sustentável

Colocadas em segundo plano por todas as religiões

Têm, ao longo dos séculos, sido discriminadas e violentadas

Consideradas, propriedades dos homens

Sem direitos, sem voz, sofrem a brutalidade da sua força

Também na educação têm sido preteridas

Relegadas para o trabalho doméstico e assistencial, mais mal pagos

Ainda são poucos os países onde conseguiram uma igualdade formal

Na prática, poucas conseguem lugares de chefia em pé de igualdade com os homens

Isto, em sociedades mais instruídas e desenvolvidas!

No resto do mundo são tratadas como seres inferiores

Sujeitas a todos os vexames: mutiladas, negociadas, acasaladas à força

Séculos e séculos de maus tratos, muitas vezes elogiadas com bonitas palavras

Mas, tão mal tratadas pela força bruta dos músculos

Por causa do ciúme, do álcool, por serem bonitas flores

Algumas têm conseguido a emancipação

Mas, à custa de muito trabalho e muita determinação

Contínua a haver quem queira a sua subjugação

Mantendo-as presas à procriação

Sem estatuto, nem função

Numa total submissão

Sem alfabetização

Uma triste situação

Que ninguém arrisca, se um dia terá solução.

Um feliz dia para todas as Mulheres!

 

José Silva Costa

 

03
Mar22

O equilíbrio!

cheia

O equilíbrio

 

A ténue linha que separa o bem do mal

Que muitas vezes está mesmo à nossa frente

Mas que não conseguimos ver

Porque temos tendência a desvalorizá-la

Não dando atenção aos sinais

Mas pior, brincando ou gozando!

Com quem está em sofrimento

Fazendo com que este se transforme em ódio

E provoque vingança

A praxe, que dizem ser o acolhimento dos novos estudantes

Chegou a um requinte de malvadez

Que poucos ou nenhuns se sentem bem recebidos

O ” bullying” é espezinhar as pessoas

As escolas não fazem o suficiente para evitá-lo

Preferem escondê-lo

Em vez de o enfrentarem

Promovendo debates

Punindo os agressores

Para grandes males, grandes remédios.

 

José Silva Costa

 

 

 

 

 

 

  

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2009
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2008
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2007
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub