Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

cheia

cheia

25
Fev20

Terça-feira

cheia

Terça-feira de Carnaval

25/02/2020

 

Um Carnaval com muitas máscaras

Mas, muito diferentes das dos outros anos

Máscaras contra o convid-19

O vírus que, o mundo, está a assustar

Um Carnaval, como o carnaval de Veneza, suspenso

Cidades fechadas, populações, a ficarem em casa, aconselhadas

Todas as atividades suspensas

Jogos de futebol à porta fechada

A correria aos supermercados

Todos estão tão assustados

Ninguém quer apertar a mão

Nem multidão

Todos têm medo da contaminação

Os contaminados não param de aumentar

Os mortos também não

Que Carnaval mais triste!

Em que as pessoas têm medo de sorrir

Nem dá para fingir

Até quem gosta de brincar ao Carnaval, desiste!

Uma época de alegria, folia, muita comunicação

Tornou-se numa prisão

Este Mundo está sempre em construção

Quando pensamos que o temos na mão

Aparece qualquer coisa a dizer-nos que não.

 

 

José Silva Costa

 

 

 

21
Fev20

Sol

cheia

O Sol

Hoje não vieste

Deixaste o teu lugar vazio

Tanto foi o frio!

Hoje, ninguém te viu

Todos tremeram de frio

Sabes como todos te esperamos

Todos os dias

Só tu nos aqueces!

Os ossos regelados dos anos 

Todos adoramos

O sol de Inverno

Sem ti, as nossas vidas são um inferno

As nossas magras pensões

Não dão para aquecer as casas

O soalheiro é o nosso ponto de encontro

As nossas pernas já não dão para mais

Ficamos, ali, com o teu agasalho

Na má-língua

Mas, hoje, como não vieste

Não resistimos ao vento agreste

Voltámos para as nossas casas

Que estavam tão frias como a rua

Agasalhámo-nos com as mantas

À espera da Lua.

 

José Silva Costa

 

 

 

 

 

 

16
Fev20

Incerteza

cheia

Covid-19

 

O Mundo está dependente do Covid-19

Mais de mil e quinhentos mortos, muitas pessoas de quarentena em navios, hospitais, residências

Eventos mundiais cancelados, medos por todos os lados

Num ano de jogos olímpicos, em que todos os segundos contam

Há atletas parados, prejudicando a sua preparação para a competição

Cidades, fábricas, casinos, tudo parado, como nunca se viu

Pessoas levadas à força das suas habitações, para ficarem de quarentena

Os países que vivem do petróleo, também fazem contas à vida

Não se sabe como e quando esta situação vai acabar

Mas, muito sofrimento está a causar

Por todo o Mundo, tudo o que vem da China, é olhado como perigoso

Toda a China está de quarentena

As Universidades pediram a professores e estudantes estrangeiros, para regressarem aos seus países

Muitas companhias aéreas suspenderam as viagens para a China

Como a produção, das grandes fábricas, de quase todo o mundo, foi deslocada para a China

Pode acontecer uma grande quebra na produção e levar o mundo para mais uma receção

Esperemos que em breve consigam travar esta mortandade

Para que todos possamos voltar a ter liberdade.

 

José Silva Costa

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

14
Fev20

Namorar

cheia

Namorados

 

Namorar é como sonhar

É ver a lua a rodopiar

Nos olhos o sorriso do brilho do futuro a voar

Nos lábios um doce bailado de beijos

Os cheiros a inebriar-nos os sentidos

Não conseguir conter os …….

Falar-te ao ouvido

Na presciência do futuro

Preanunciar dias de glória

Persuadir-te a veres as estrelas a dormirem

Na tua perscrutação dos seus movimentos

Para aproveitarmos todo o tempo

Porque no namoro o empolgamento

Não dá pela passagem do vento

Mal nasce o dia, logo a noite está de despedida

Como a dizer-nos quão é curta a vida

Para não ser bem dormida

Como é boa a ida

Quando ainda vamos na subida

Todos os sonhos são projetos de vida

Quando a noite fica entretida

A ouvir as nossas promessas de amor eterno

Como se fosse sempre verão e não houvesse inverno

Como se todas as noites fossem de lua-de-mel.

 

José Silva  Costa

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

08
Fev20

A natureza

cheia

Sintra

 

Sintra, flor da natureza

Toda cheia de encanto e nobreza

Tu deste um fruto de pureza

A beleza, uma princesa

 

Sintra, paraíso de namorados

Terra de esplendorosa beleza

Toda cheia de jardins perfumados

Tu és o melhor fruto da natureza

 

Sintra, engalanada de palácios, castelos e conventos

Tu tens mil monumentos

Tu és uma princesa de mil encantos

Toda cheia de namorados nos recantos

 

Sintra, abençoada pela terra e pelo mar

Que o Atlântico não deixe de te beijar com o seu olhar

Que a serra nunca deixe de te amar

Que, os poetas, continues a encantar.

 

José Silva Costa

 

 

03
Fev20

O brilho do sol!

cheia

O brilho do sol!

 

Neste dia de maravilhoso sol

Acendemos os corações

Fomos ver o mar

Os teus olhos estavam radiosos

Cheios de mar, sol e lua

Onde os meus navegam e sonham

Saboreámos um dia de primavera, no inverno

Por onde tu passavas, a natureza sorria

Tudo parecia querer agradecer

O brilho do calor deste dia

Ficámos ali a olhar

As ondas a correrem e a dançarem

A participarem na nossa festa

Beijaram-te os pés, e o sol, os lábios

Ficámos os quatro abraçados

Até o sol se despedir

Despedimo-nos das ondas

Unimos os lábios e sorrimos

A natureza anunciava a noite e preparava a cama

Aproveitámos e fomo-nos deitar

A desejar mais dias radiosos.

 

José Silva Costa

 

 

 

 

 

02
Fev20

Coronavírus

cheia

Coronavírus

Mais um ano bissexto

Palha e tudo no cesto

Logo à nascença está catalogado

Como um ano não desejado

Talvez sejam mitos do passado

Em que os agricultores acreditavam

Porque estavam escaldados

Fartos de anos bissextos de fome e miséria

Quando o trigo era o principal sustento

E a fome se prolongava pelo ano dentro

Já não temos o celeiro de Portugal

Este ano bissexto começou mal

O coronavírus está a assustar o Mundo

Está tudo apavorado

Meio Mundo está parado

Os mortos são às centenas

Fora os que ficam de quarentena

Ninguém quer nada com a China

Tentam isolá-la

Para ver se a coisa anima

Por muito que a ciência avance

Estão sempre a aparecer novas epidemias

Tentam criar novas vacinas

Pouco mais se pode fazer

Do que a epidemia tentar conter.

 

 

José Silva Costa

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D