Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

cheia

cheia

27
Out19

25ª. Hora!

cheia

Mais uma hora!

Graças à mudança da hora

Com o sol a deitar-se, cada vez, mais cedo

E, a levantar-se, cada vez mais, tarde

Obrigando-nos a alterar a rotina

Por muito que gostássemos de ter mais horas de dia

Nada podemos fazer, para que o sol nos possa atender

Felizmente, temos luzes, para acender

Senão, lá teríamos de nos deitar com o escurecer

Hoje, podemos, as vinte e quatro horas, ter

Para fazer o que quiser

É por isso que alguns estão a adoecer

Porque o corpo precisa de descanso

Para fazer a manutenção

Sem a qual a máquina fica sem solução

Passamos demasiado tempo agarrados aos écrans

São tantas as ofertas!

Que é difícil fazer, o tempo, esticar

Hoje, temos mais uma hora

Para pormos a escrita em dia

É só um dia!

Bem-vinda hora de inverno

Para pormos o sono em dia

Neste único dia, em cada ano

Mas que vamos pagar

Quando a hora de verão, chegar.

José Silva Costa

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

22
Out19

A legislatura!

cheia

Os Governantes

 

Um país para ser bem governado tem de ter muito político, bem sentado

Muito, muito secretário de estado

Quem é que não gosta de ter, na família, um secretário de estado!

Ou, até, bem instalado, em Lisboa ou Estrasburgo, um deputado

Ter um familiar ministro, é muito mais complicado: são só 20!

O que nos vale são os gabinetes, dos ministros e dos secretários de estado

Gabinete! Quando falamos de gabinete pensamos em sala pequena

Mas, os dos governantes devem ser muito grandes

Para conseguirem acomodar tanta gente

Malabaristas, eletricistas, massagistas, esteticistas, propagandistas

Para além de muitas mais, onde nunca falta o chefe de gabinete

Que é quem recebe as reivindicações, das mãos, dos representantes das manifestações

E, quando as coisas não correm bem, obrigam a remodelações

Lá sobem os secretários a ministros

Este é um ritual mais que visto

Mesmo com tanto esforço, para, todos, contemplar

Há sempre quem fique sem lugar

Ó pobre país, que não consegues a todos agradar!

Por muito que gostes de, impostos, pagar.

 

José Silva Costa

 

 

 

 

 

 

 

18
Out19

Regiões!

cheia

Egoísmos

Na tarde vazia

Enterras a alegria

O lusco-fusco não te entende

Foste à procura do brilho da lua

Ninguém, passava na rua

A cidade era toda tua

Estava completamente nua

Depois de tantos gritos de rebelião

De tanto lutarem pela independência

Uns foram para as prisões, outros para os hospitais

A maioria foi para casa, chorar a batalha

Quem queria um poleiro

Criou-lhes tantas ilusões

Prometeu-lhes milhões

“ Vamos ser independentes, vamos voltar a ser grandes, vamos voltar a ter o controlo”

Só ódio e egoísmos em todos estes chavões

Por que razão não pregam pela paz e solidariedade!

Não está o Mundo todo interligado!

Querem voltar aos tempos das muralhas e dos castelos com torres de menagem!

Não somos cidadãos do mundo!

Tão depressa, estamos num Continente, como no outro ao lado

Querem mais liberdade!

Por cá, também, estão empolgados com a solidariedade

Por enquanto só querem Regiões

A solução milagrosa que resolveria todos os problemas

Todos poderíamos escolher os hospitais que quiséssemos

Todos poderíamos escolher escolas públicas ou colégios particulares

Mesmo que moremos no canto mais recôndito, deste país

Custa alguma coisa vender ilusões!

 

José Silva Costa

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

11
Out19

Perdão!

cheia

Perdão e restruturação

Um perdão de 70 cêntimos, por cada euro emprestado!

Falam em restruturação, para criarem a confusão

O que se trata, é de um perdão de 95 milhões!

Feito por dois Bancos, um dos quais, comtemplado com muitos milhões dos contribuintes!

Mesmo assim, dá-se ao luxo de perdoar milhões, ao SCP.

O FCP. Já veio reclamar, por o SCP. estar a ser beneficiado

Tudo é perdoado, tudo é dado ao futebol!

Porque, “ os Grandes Adeptos” são figuras ilustres da Nação

Presidentes da República, Primeiros-Ministros, Presidentes de Câmara, Deputados

Alguns Clubes de Futebol têm recebido, não só dinheiro, como terrenos Municipais

O fanatismo, pelo futebol, é tão grande, que, mesmo pessoas, bem formadas, inteligentes e íntegras, quando se trata de beneficiarem os seus Clubes, não olham a meios para atingirem os fins!

Ninguém tem o direito de utilizar o dinheiro dos contribuintes, para financiar o futebol, onde se praticam escandalosos ordenados, para dirigentes e futebolistas!

Para creches, saúde, educação, retirar o amianto dos edifícios públicos não há dinheiro

Quantos terão, ainda, de morrer, para cumprirem a promessa de limpar os edifícios?

O futebol está acima de tudo!

Para o futebol há tudo!

 

José Silva Costa

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

07
Out19

Cabelo ao vento

cheia

O teu cabelo

 

No teu passo acelerado, sigo o teu cabelo, ao vento, encantado

Vendes alegria ao sol, com o teu harmonioso penteado

Transbordas de juventude, com o teu ar empertigado

A formosura da juventude faz-te brilhar em todo lado

Como gostava que fizesses de mim, o teu amado!

Dormiria nos teus rubros lábios, deitado

O meu coração não me cabe no peito, está apertado

O amor tem qualquer coisa de loucura, é o estado

Em que fica quem, um dia, descobre a sua, ou seu amado

Um não sei quê de nervoso miudinho envergonhado

Que luta como se fosse um rio estrangulado

Que não vê mais nada, mesmo que, por muitos, esteja cercado

O amor é a maior loucura em puro estado

Espero que te tenhas apercebido do meu estado

E que em breve me mandes um recado

Para que não morra, porque, para ti,tenha olhado

Sem saber que iria ficar neste estado

Melhor seria, que os meus olhos não te tivessem encontrado

Que naquele momento não te tivessem focado

Mas, os olhos, andam sempre, por todo o lado

Sem se aperceberem do perigo de um mau-olhado

Mas, o que mais quero, é ficar, para sempre, ao teu lado, encantado.

 

José Silva Costa

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D