Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

cheia

cheia

28
Abr15

O exemplo de Mota Soares

cheia

O exemplo de Mota Soares!                     

Quando, no início desta legislatura, tomou posse como deputado , fez-se transportar na sua mota, chegou à Assembleia da República, pelos seus meios, não necessitando de viaturas do Estado!

E assim tem continuado, mesmo depois de nomeado Ministro da Segurança Social, nunca andou em nenhum carro do Estado!

E o falar aos saltinhos é resultado dos amortecedores da mota, na trepidação do empedrado das ruas, das colinas de Lisboa.

Mas não ficam por aqui os exemplos do Senhor Ministro da Segurança Social: para preenchimento de vagas nos organismos dependentes do seu Ministério, tem tido o cuidado de fazer uma dupla certificação dos concorrentes.

Assim, aos concorrentes aprovados pela Cresap: Comissão de Recrutamento e Seleção para a Administração pública , ele acrescenta a certificação de militante partidário, tendo povoado o País, apenas de militantes do CDS e PSD .

Graças à Cresap a nossa administração pública está renovada e bem entregue a pessoas competentes e selecionadas, sem recurso a emblemas Partidários.

Que ricos exemplos!

27
Abr15

...

cheia

Primeiro de Maio: Dia do trabalhador

Sem trabalho nem ordenado, no desemprego, desesperado, sem casa nem telhado.

O suicídio já mata mais que o carro!

Fogem de um lado para o outro, à procura de um lugar seguro, onde tenham paz, pão, habitação.

O Mundo está sob um torpedo: o terror, o ódio, a corrupção, a ambição, que nos quer vencer pelo medo.

Temos de nos levantar e dizer basta, porque se continuarmos calados, indiferentes: amanhã já será tarde, para emendar o erro!

A História não se cansa de se repetir!

 

 

José Silva Costa

25
Abr15

Abril

cheia

Abril

Tanto para cumprir

E já te querem ferir

Porque não conseguem

Com a liberdade dormir!

Cozinham a censura às escondidas

Com medo ou com vergonha

Sabe-se lá o que nos aprontam

Aqueles, a quem nada espanta!

Deslumbrados pelo poder

Pensam que tudo podem fazer

Decretam e mandam publicar

E quem, as suas ordens não acatar

Pesadas multas tem de pagar!

Acham-se donos disto tudo

Até da nossa liberdade:

De ler, ouvir, ver e decidir

Porque, com a liberdade

Não conseguem dormir!

 

 

 

24
Abr15

Comemorar o 25 de Abril

cheia

Para comemorar o 25 de Abril, nada melhor que uma lei, para exame prévio à cobertura de atos eleitorais ! Tendo os órgãos de comunicação social de antecipar o que é que vai acontecer, para o puderem submeter, à novíssima comissão de censura.     E vejam bem, os três do arco da governação, estão todos de acordo!

Bastaram quarenta e um anos para se esquecerem do lápis azul!

Tudo isto acontece, porque não lemos as listas dos nomes propostos, pelos Partidos, para deputados.

Por isso, nas próximas eleições, devemos estar atentos, à competência das senhoras e senhores, que os Partidos nos propõem, para nos representarem.

21
Abr15

5ª Sinfonia

cheia

Minha quinta sinfonia

Da noite se fará dia

Na primavera luzidia

Serás a mais bela melodia

Nos teus olhos toda a alegria

Da flor que a primavera anuncia

No vento azul que amanhecia

O sorriso do inesquecível dia

Meu perfume de primavera

Minha rosa encantada

Que seja longa a tua estrada

Feliz e alegre a caminhada

Da tua musica cadenciada

 

 

20
Abr15

O Mediterrâneo

cheia

Tanta guerra, tanta intolerância

Tanta fome, tanto desespero

Tanta esperança, tanto medo

Tanta água para um cemitério!

 

Tanta criança inocente

Ao colo de quem ambicionava ser Gente

Tanta aposta num dia diferente

Tanta coragem para seguir em frente!

 

Morrer, por morrer, vale mais correr

Do que ouvir os filhos, de fome, gemer

Porque parte o coração, só de ver

A tantos sacrifícios, os submeter!

 

Quem é que consegue entender?

O que no Mundo está a acontecer

Quem souber, que o diga

Porque custa muito, ver

Tanta gente a morrer!

 

 

José Silva Costa

 

 

 

19
Abr15

O império

cheia

O Império

O 25 de Abril de 1974 veio pôr fim ao último grande império. Quase todos os povos já tinham conseguido a independência, menos os colonizados pelos portugueses.

Salazar não soube ou não pôde ouvir os lideres das colónias, que sabia quem eram, e que mais tarde vieram a desencadear as lutas pela libertação das suas nações: Mondelene, Agostinho Neto, Amílcar Cabral. Se o tivesse feito, talvez a história tivesse tido outro rumo, mas nem ele era pessoa de antecipar o futuro, nem o País estaria, para isso, preparado.

Infelizmente , o destino dos povos depende dos interesses dos donos do Mundo, a cada momento, como aconteceu , quando Portugal e Espanha o dominaram.

Salazar dependia dos militares e dos donos da economia ,que nunca quiseram ver os seus interesses, nas colónias, postos em causa. E o que ele mais queria era encher, de ouro, o Banco de Portugal

Mas os ventos não param, e Portugal ficou de tal maneira isolado, que se viu, nas Nações Unidas, por todos confrontado, com o apoio aos movimentos de independência. Até o Vaticano nos virou as costas, preferindo, e muito bem, apoiar os movimentos de libertação!

Depois de treze anos de guerra, em três frentes: Guiné, Angola e Moçambique, sem fim à vista, e depois de António de Spínola ter publicado o livro “ Portugal e o futuro”, os capitães começaram a conspirar, e em boa hora o regime conseguiram derrubar.

Portugal estava esgotado: já tinha dificuldade em encontrar oficiais para as frentes de batalha.

Nos cursos para sargentos milicianos, nas Caldas da Rainha, em 1968, no fim de cada curso foi pedido, a cada pelotão, por votação secreta, que elegessem o candidato a ascender ao curso de oficiais.

Capitães milicianos, para comandantes de companhia, eram mobilizados civis, alguns com mais de trinta anos, casados, com a vida estruturada, que tinham cumprido o serviço milita obrigatório r, como alferes.

Bocage escreveu “ Camões, grande Camões, quão semelhante

                                     Acho teu fado ao meu, quando os cotejo!

                                     Igual causa nos fez, perdendo o Tejo,

                                     Arrostar co`o sacrílego gigante;

Durante os cinco séculos, em que foste nosso, quantos tivemos de perder o Tejo, e infelizmente, muitos perderam-no, para sempre?

Uma pequena Nação deu à luz sete irmãs!

José Silva Costa

 

 

 

 

 

 

 

16
Abr15

...

cheia

Álcool!

Como é que o cervejeiro poderia aprovar a proibição de venda de cerveja a menores?

Que interesse tem a saúde, em comparação com os interesses dos acionistas?

Se ainda não atingimos o primeiro lugar Mundial, como consumidores de álcool , podemos forçar o consumo, de modo a atingirmos esse galardão!

Quanto ao tabaco! A mesma posição: está provado que mata, mas não deve ser proibido, porque a receita do imposto é choruda .

A Organização Mundial de Saúde quer proibir o fabrico de tabaco, oxalá o consiga.

14
Abr15

TSU

cheia

Abril

Em Abril há muitos cravos por florir

Há quem nos queira convencer a empobrecer

Como se isso não fosse morrer!

Já ouviram algum treinador pedir à equipa para perder?

O que alguns políticos querem é: um povo analfabeto, mole, empanturrado de futebol

Que não saiba decifrar as suas manhas, nem as ciladas em que nos querem meter

Competição à custa de menos solidariedade , menos segurança social e mais desigualdade!

Não, não nos podemos deixar embalar. Temos de lutar, dando o exemplo:

Pontualidade, organização e método, mais produção em menos tempo.

Não nos podemos à dependência submeter

Temos de ter uma palavra a dizer

Não podemos continuar a ver: pontes, túneis, autoestradas sem saídas

Que só para encherem os bolsos, a alguns, foram construídas

Nas poucas vezes que somos chamados a decidir, não podemos ficar em casa a dormir!

Porque eles não se importam de ser eleitos por meia-dúzia de votos !

Se acharem que podemos esperar sentados!

Então, continuem, às assembleias de voto, a faltar.

 

 

José Silva Costa

 

 

 

12
Abr15

um longo e feliz namoro

cheia

Os mais de cinquenta anos, que já passámos, lado a lado

Evaporaram-se, como fogo ateado

Os filhos e os netos são resultado

Não sabemos quanto tempo mais a festa vai durar

O importante é saborear, cada momento, como se fosse o último, sempre a sonhar

Porque o vento não repete o seu olhar

A magia é não sabermos até quando nos vai embalar

Sabemos que um dia nos vamos separar

Mas temos, sem tristeza, de a encarar

Porque isso é: a Natureza a namorar.

 

 

José Silva Costa

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D