Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

cheia

cheia

18
Abr24

O Império

cheia

O Império – As teias que o Império teceu

56

 O Januário e a Rosinha continuavam sem darem pela passagem dos dias, na companhia da neta, de tudo o resto se abstraíam 

Queriam aproveitar todos os bons momentos do seu crescimento que, para os pais e avós, são de ternura e encantamento

A Leopoldina e o Jeremias agradeciam a disponibilidade dos avós, podendo, por isso, dar mais atenção aos assuntos da cooperativa, que geriam com tanta dedicação, na esperança de poderem dar melhores condições de vida a todas as cooperantes

Como todos os casais tinham muitos filhos, era muito difícil ver melhorias, apesar de todo o empenho, de todos

Mesmo com toda a dedicação, era muito difícil aumentar, muito, a produção, e isso preocupava a Leopoldina, que se esforçava para que todos contribuíssem com os seus conhecimentos sobre as diversas culturas: milho, mandioca, batata-doce, jinguba (amendoim)

A Milay e o Zacarias disseram, à Miquelina e ao Ezequiel, que estavam à espera de um bebé, os futuros avós não podiam ter tido melhor notícia

Depois do nascimento da sobrinha neta, a Milene, chegava a vez de eles serem avós, não havia dúvidas de que estavam a ficar velhotes

A Miquelina disse para o marido, ainda bem que vamos ser uns avós jovens, assim teremos mais tempo para estar com a nossa neta ou neto, podemos acompanhar o seu crescimento, e quem sabe, até poderemos vir a ver bisnetos

O Ezequiel disse-lhe que o melhor era não pensarem nisso, porque ainda não tinham netos e já estavam a falar de bisnetos

Mas, ela não quis dar a conversa por acabada, dizendo que se tudo corresse bem, os netos deles seriam uns privilegiados, para além de terem os avós, para os mimarem, também seriam criados pelos dois progenitores, o que não seria para todos, no futuro

Tempos virão, em que a maior parte das crianças será criada, apenas, por um dos progenitores, o que será mais uma discriminação, a juntar-se a tantas outras

As mães continuavam a aderir à inovação de deixarem os seus filhos na creche, começavam a acreditar que ficavam em segurança, protegidos de intempéries, os mais velhinhos brincavam uns com os outros, e elas ficavam muito contentes por verem como os filhos se sentiam felizes, naquelas brincadeiras, fazendo com que não chorassem, quando elas os deixavam na creche

Passaram, todas, a elogiar a criação da creche, da cooperativa, de toda aquela organização, que lhes proporcionava melhores condições de vida,  que faria com que se dedicassem ao trabalho com outra alegria, com vontade de fazer o melhor que soubessem, para aumentar a produção.

Continua

 

 

11
Abr24

O Império

cheia

O Império – As teias que o Império teceu

 

55  

Em 1761, no reinado de D. José I, foi proibida a importação de escravos em Portugal Continental e na Índia, não por razões humanitárias, mas por ser mão-de-obra necessária no Brasil

Ao mesmo tempo foi estimulado o comércio de escravos negros para aquela colónia, foram fundadas, com o apoio e envolvimento direto do Marquês de Pombal, duas companhias: a Companhia do Grão-Pará e Maranhão e a Companhia Geral de Pernambuco e Paraíba, cuja atividade principal era o tráfico de escravos, na maioria  africanos, para terras brasileiras

Na lista de acionistas contavam-se, além do Marquês, muitos nobres e clérigos

Entre 1757 e 1777, foram importados 25.360 escravos negros, para o Pará e Maranhão, vindos dos portos africanos

As medidas protecionistas, adotados por Portugal, afastaram os negociantes brasileiros para outros portos menos controlados

Os comandantes da marinha portuguesa receberam ordens para apreenderem os navios negreiros, tendo sido premiados, pelo Reino de Portugal, pelas apreensões

Em 1840, cessou o tráfego através do porto de Luanda

A escravização de populações africanas começou a perder folgo, no início do XIX, quando ingleses e franceses abandonaram o tráfico e começaram a pressão para a sua extinção  

Passaram a afundar os navios negreiros, que cruzavam o Atlântico, as fazendas, que produziam café, no sudeste do Brasil, ainda usavam mão-de-obra escrava proveniente de África, ou descendentes de escravos africanos

Implementada a creche, as cooperantes sentiram a necessidade de um refetório, uma cozinha: um sítio onde pudessem cozinhar e comer as refeições, dar de comer aos filhos, à medida que iam deixando de ser amamentados

Outras acrescentaram que deviam, também, ter uma loja para venderem os seus produtos

Umas queriam fazer tudo de seguida, para outras, estavam a andar muito depressa, era preciso ir mais de vagar, fazer uma coisa de cada vez

Numa próxima assembleia geral, tinham de decidir, saber o que queria a maioria, para que a cooperativa continuasse a funcionar com o apoio de todas.

 

Continua

 

 

04
Abr24

O Império

cheia

O Império  -  As teias que o Império teceu 

54

A Rosinha e o Januário não podiam estar mais felizes, a chegada da primeira neta, a Milene, veio trazer muita alegria e felicidade, a toda a família

Os pais, a Leopoldina e o Jeremias, também, não cabiam em si de tanta felicidade e contentamento, com o aparecimento do seu primeiro rebento

Não fossem as dores que quase sempre acompanham os velhos, os últimos anos de vida poderiam ser menos penosos e muito mais valiosos

Mas, para isso, temos de aprender a viver: levar uma vida regrada, fazer uma alimentação saudável, menos alimentos processados, menos carne, mais fruta e vegetais, nada de refrigerantes, pouco álcool, fazer exercício físico

Para os avós tinha começado uma nova vida, todas as suas energias seriam para o novo membro da família, a Milene

Ser pais é maravilhoso, mas, normalmente é numa idade, ainda, jovem, com uma vida pela frente, com a responsabilidade de criar e educar aquele pequeno ser, que acabara de nascer, e que vai ser quem determina, daquele dia em diante, o que os pais terão de fazer, sendo que as suas necessidades estarão, sempre, acima das dos progenitores

Ser avós é, ainda, mais emocionante, já têm a experiência de ser pais, podem evitar alguns erros cometidos, como pais,  ninguém nasce pai, e aprende-se a sê-lo com os filhos, e como não há dois filhos iguais, a não ser que sejam gémeos, o que faz com estarão sempre a aprender, e nunca conseguirão ser pais exemplares

Como avós têm uma intimidade mais forte com os netos, do que com os filhos, parece que estão mais perto da idade deles, são coniventes com as suas aventuras, e eles olham para eles como cúmplices, e não como os seus principais educadores, que são os pais, mesmo que, também tenham obrigação de os educar, fazem-no de uma maneira mais suave e doce

É por isso que todos temos muito carinho, para com os nossos avós,

 Porque, para eles, somos as mais bonitas e perfumadas flores.

 

Continua

 

 

28
Mar24

O Império

cheia

 

O Império  -  As teias que o Império teceu

 

53   

Em 1755, Portugal foi abalado por um terremoto e começou a perder o controlo do tráfico

Na tentativa de reverter a situação, em 1761 foram editadas leis, que obrigavam os navios a fazer escala em Lisboa, ou na alfândega, em Luanda

Mas, até 1769, apenas quatro navios respeitaram as novas leis. O que levou à construção de presídios para prender os desobedientes

No continente africano, a submissão das populações já não era tão simples como no passado

Os povos do interior começaram a organizar ataques com armas obtidas no comércio realizado, no litoral Atlântico

Tentou-se inclusive, embora sem sucesso, criar uma cavalaria em Angola

A cooperativa continuava a dar bons frutos: mais culturas, novos métodos, mais produção, mais clientes, porque a cidade continuava a crescer

A cooperativa estava a tornar-se uma grande família, com jovens casais, que sabiam como era importante a dedicação ao trabalho, a inovação, bem como a qualidade dos produtos, que produziam

A creche estava pronta, as mães estavam nervosas, estavam habituadas a terem os filhos atados a elas, nas suas costas, tinham receio de os deixarem à guarda das outras mães

Na assembleia geral tinham sido aprovadas as regras para a utilização da creche: todas as mães tinham o direito de a utilizar, não era obrigatório, mas para as mães, que tivessem filhos em idade de frequentá-la, era obrigatório fazerem parte de uma lista, para que todos os dias, pelo menos uma fosse escalada, para ficar a tomar conta das crianças    

A Rosinha prontificou-se a ajudá-las, estaria na creche sempre que pudesse, para ajudá-las, para que tudo corresse bem

Com a incumbência de tomarem conta das crianças, foram perdendo o nervosismo e passaram a confiar umas nas outras, nos cuidados com os filhos

Em pouco tempo, todas perderam os receios de deixarem os filhos na creche, tendo contribuído o facto de saberem como funcionava, porque todas tinham de participar no seu funcionamento

Depressa, perceberam que era bom para ambos, tanto para a mãe, como para o filho, que deixava de andar ao sol e ao vento, e elas ficavam aliviadas daquele peso, nas costas.

 

Continua

 

 

23
Mar24

Um ano de Império!

cheia

Um ano de Império!

 

(23/03/2023)

 

Faz hoje um ano que comecei a publicar  “ O Império – as teias que  o Império teceu”

Comecei a escrevê-lo a 12/02/2023, sem qualquer plano, sem saber o que iria escrever, como continua a acontecer. Mas, hoje, tenho um conhecimento diferente, sobre as relações entre Angola e o Brasil

Como os heróis desta aventura decidiram viver em Angola, tem sido a história desta ex- colónia a mais mencionada

Infelizmente, foi a escravatura, que uniu as duas colónias. Com a ocupação de Luanda, pelos holandeses, os brasileiros, que necessitavam de escravos para as plantações e minas, tiveram de ser eles a expulsá-los de Angola 

Até finais do século XVII, Angola funcionou como um reservatório de escravos

Entre 1822 e 1823, centrado em Bengala e aglutinando outras cidades do litoral, surgia a Confederação Brasílica, um Estado separatista, que tinha a finalidade de juntar Angola ao recém-independente Brasil. Esse movimento foi formado por colonos e soldados de Benguela, que em boa parte provinham do Brasil. O governo da colónia, exilado em São Tomé, chamou reforços e esmagou a revolta

Uma boa parte desses colonos são presos deportados de Portugal, como o célebre Zé do Telhado

Às leitoras e leitores, agradeço os comentários, as sugestões e o interesse, por esta história, sem os quais, ela já teria acabado. Assim, não sei por quanto mais tempo este império continuara.

 

José Silva Costa

   

 

 

21
Mar24

O Império

cheia

Império - As teias que o Império teceu

 

52   

 

A exportação de mão-de-obra escrava pelo porto de Luanda terá sido alvo de competição, no século XVII, entre portugueses e holandeses

A disputa entre os colonizadores, cujo vencedor foi o Reino de Portugal, originou a captura direta de escravos, nas chamadas Guerras Angolanas, no seio de certas tribos, que tinham lutado contra os portugueses

Tornando-se, Angola, num centro, importante de fornecimento de mão- de-obra escrava, para o Brasil, onde crescia não apenas a produção de cana-de-açúcar, no Nordeste, mas também a exploração de ouro na região central

Os navios, com mercadorias de Goa, faziam escala em Luanda, para deixarem panos, as chamadas “fazendas de negros”. Dali, seguiam para Salvador, na Bahia, carregados de escravos e de outras mercadorias provenientes da Índia (como louças e tecidos)

Salvador tornou-se um centro difusor de mercadorias, vindas da Índia, para América do Sul

Os negócios foram estruturados aos poucos. Num primeiro momento, os Governadores da colónia tinham o poder de determinar o preço dos escravos. O pagamento era feito com ouro proveniente de Minas Gerais, no Brasil

Mais tarde, em 1715, a coroa portuguesa proibiu os governadores de se envolverem no tráfico de escravos

Os negociantes provenientes do Brasil (principalmente do Rio de Janeiro, da Bahia e de Pernambuco) assumiram as rédeas do comércio, que teve um grande incremento

A principal feira fornecedora de escravos, para o porto de Luanda, era a feira de Cassanje

 A cachaça brasileira (jeribita) passou a ter um papel de destaque nas trocas, sendo valorizada tanto em Angola, quanto no Brasil. Figurava, ao lado da seda chinesa e as armas europeias, como uma das principais moedas de troca

Era, na verdade, a moeda mais corrente, já que o comércio de armas era controlado e a seda chinesa só chegava a África, depois de passar por Lisboa, o que elevava o preço e reduzia a sua liquidez

Outro produto brasileiro, muito valorizado, em África, era o fumo de corda de Salvador

A Rosinha e o Januário, aliviados das responsabilidades dos destinos da cooperativa, ajudavam na construção da creche, eram da opinião de que os idosos devem acabar os seus dias na companhia das crianças

Podiam muito bem acompanhá-las no recreio, nas suas brincadeiras, nas refeições, fazendo com que aqueles, que não têm avôs, sintam, também, o amor e a compreensão de quem já tantos anos passou, que mais tolerantes os tornou.

Continua

 

07
Mar24

O Império

cheia

O Império – As teias que o Império teceu

 

51    

 As cooperantes marcaram a assembleia geral da cooperativa. Reuniram-se todas, junto do embondeiro grande, muitas mulheres, apenas cinco homens

As mulheres trouxeram, para a discussão, o problema de passarem o dia a trabalhar com os filhos às costas

Colocaram à discussão e votação a criação de um sítio onde os filhos pudessem ficar em segurança, enquanto elas estivessem a trabalhar

Uma propôs que ficasse uma a tomar conta deles, mas ouviram-se, imediatamente, vozes a dizerem que não poderia ser só uma, por que se houvesse um problema em que ela tivesse de dar toda a atenção a essa criança, as outras ficariam em perigo

Tinham de ser, pelo menos duas, para tomar conta das crianças, que exige muita atenção, e é uma grande responsabilidade, para quem tem a incumbência de zelar pela sua segurança

O ideal seria que os avós estivessem por perto e disponíveis para ajudarem os pais, em caso de ocorrer um impedimento dos progenitores, ou para que tenham algum tempo para descansarem, pois, as crianças precisam de um acompanhamento permanente, que pode deixar os pais sem força para tomarem conta delas

Estava lançada a ideia, para que as mães deixassem de trabalhar com os filhos às costas

A Rosinha e o Januário aproveitaram para informar que iriam resignar aos seus cargos, porque o futuro era dos jovens, dizendo que já tinham dado o seu contributo e que se queriam dedicar aos futuros netos, mas estariam sempre prontos, para ajudarem no que fosse preciso

Uma vez que a assembleia estava reunida, aproveitou para eleger a substituta da Rosinha. Numa votação de braço no ar e por unanimidade elegeram a Leopoldina, para o cargo, que era da mãe

A Leopoldina aceitou o cargo, dizendo que faria tudo o que soubesse, para bem de todos, mas todos tinham de a ajudar na difícil tarefa de colocar os interesses da comunidade acima dos interesses individuais

Os pais ficaram muito contentes por ter sido a filha a escolhida, sabiam o seu valor e o apego à comunidade, que queria a todo o custo tivesse melhores condições de vida

A pouco-e-pouco a cooperativa ia ganhando forma, em breve teria um berçário e infantário, as mães poderiam deixar de andar a trabalhar com os filhos às costas

Outra grande transformação será os homens trabalharem no campo, ao lado das mulheres, mas só os jovens, que eram muito pressionados, pelas namoradas, para que rompessem com as tradições e trabalhassem ao lado delas

A resistência era muita, os mais velhos não queriam que os rapazes trabalhassem no campo, ao lado das mulheres

Uma sociedade governada pelos sobas, cujas ordens eram respeitadas, sem qualquer pedido de explicações, a evolução vai ser muito lenta, e é para isso que a Leopoldina tem de estar preparada.

 

Continua

   

29
Fev24

O Império

cheia

O Império – As teias que o Império teceu

50

A última expedição brasileira a Angola foi em 1671, 200 mulatos nordestinos participaram na batalha conhecida como Pungo Adungo. Quando saiu de vez do território angolano, o Brasil deixou muito bem estabelecido por lá um forte comércio de fumo e cachaça, que conquistou os traficantes de escravos até à sua proibição

A cooperativa estava a tornar-se numa grande família, o casamento do Zacarias, filho da Miquelina e do Ezequiel, com a Milay, filha de um casal cooperante, cujo namoro já durava há muito tempo, fez com que as duas famílias ficassem muito felizes

Os jovens começavam a ocupar o lugar dos pais, tanto na produção como na gestão da cooperativa, o que fez com que mais jovens aderissem ao projeto

A Rosinha e o Januário continuavam a saborear a reforma, que lhes foi imposta pelos filhos, que não queriam que eles voltassem para os trabalhos do campo, dizendo-lhes, que aproveitassem bem o tempo, porque mais tarde ou mais cedo apareceriam os netos, acabando com a lua-de-mel dos avós: “ filhos criados, trabalhos dobrados”

Assim, passavam os dias calcorreando os sítios onde tinha sido felizes, onde se tinham encontrado, onde tudo tinha começado

Recordavam os tempos em que eram jovens, quando não tinham dores nas pernas e nas costas, não precisavam de andar constantemente a descansar, porque os anos pesam muito, fazendo com que se percam as forças

O Januário, desde que tinha estado doente, no Brasil, com as sazões, de vez em quando, voltava a ficar doente com as terríveis febres

Aquele tempo de férias, imposto pelos filhos, fez com que o Januário e a Rosinha se apercebessem de que estava na altura de se reformarem

A Rosinha não queria deixar de trabalhar. Mas sabia que o Januário precisava da sua ajuda e companhia, para o ajudar a ultrapassar as sazões, mesmo que ele insistisse que aquilo era passageiro

Assim, pediu aos filhos que falassem com os cooperantes, no sentido de marcarem a assembleia, para que todos apresentassem as suas ideias, para melhorarem a cooperação, os rendimentos, as habitações: a vida

A Leopoldina e o Jeremias deram-lhes a boa notícia de que iriam ser avós, não poderiam ter recebido melhor notícia, remédio, esperança, alegria, incentivo para afogarem as dores  e as febres do Januário

Foi de tal maneira, que esqueceram tudo o que os atormentava, e começaram fazer planos de como iriam ajudar a criar a neta ou neto

Foi tanta a felicidade, que pareciam ter rejuvenescido muitos anos, fazendo com que os futuros pais, também ficassem babados de felicidade, e fossem a correr, dar a notícia à restante família.

 

Continua

 

 

 

22
Fev24

O Império

cheia

O Império – As teias que o Império teceu

49

Depois, foi a vez de pedirem à Rosinha e ao Januário, que contassem a história do seu encontro

O Januário não queria revelar as circunstâncias em que tinha conhecido a Rosinha, mas esta disse que não havia mal nenhum em revelarem o abrupto encontro deles

 A Rosinha começou por dizer que o mais difícil foi a comunicação, não conseguiam dizer um ao outro o que queriam, mas os gestos e o tato foram muito importantes, o insuportável foi viver, todos os dias, a pensar no sofrimento dos familiares, sem saberem o que lhe tinha acontecido

Mas não tinha maneira de lho dizer, só quando começaram a entender o que cada um queria, é que ela lhe fez sentir quão a sua família deveria estar a sofrer

Não foi fácil convencê-lo, porque ele estava com receio da reação da família dela, e não era caso para menos: tinha raptado a sua familiar, e isso era imperdoável, a não ser que a Rosinha o defendesse

Foi isso que o Januário tentou durante o tempo em que ela esteve afastada da família, só quando teve a certeza de que ela não deixaria que lhe fizessem mal, é que anuiu irem contatar aos familiares dela, o que tinha acontecido

A Rosinha não deixou de elogiar o marido, dizendo que desde a primeira hora do encontro, que ele a tratou com muito carinho, sempre preocupado com o bem-estar dela, agasalhando-a, dando-lhe as melhores e mais maduras frutas, tudo o que era melhor era para ela, e essa foi sempre a atitude dele durante todos os anos que levavam juntos

Na sua opinião, o Januário era uma pessoa exemplar, amigo de todos, fossem pobres ou ricos, pretos ou brancos, procurava que todos fossem respeitados, mulheres ou homens, crianças ou velhos

Nunca antes tinha conhecido ninguém que tanto se preocupasse com os outros, para ele, mulheres e homens deviam ter os mesmos direitos e as mesmas obrigações, o que ia contra os hábitos da sociedade dela, fazendo com que fosse olhado com desconfiança, por todos

 Os Sobas receavam que as ideias dele levassem as populações a revoltarem-se contra  as regras ancestrais, que tinham herdado dos seus antepassados, para regerem os seus povoados

Os filhos e a restante família ficaram muito orgulhosos da Rosinha e do Januário, muito contentes com tudo o que a Rosinha tinha dito sobre o relacionamento entre eles, e das ideias revolucionárias e humanitárias do Januário.

No fim, todos concordaram que um encontro, inesperado, entre uma africana e um europeu, dificilmente poderia ter ocorrido melhor

Os europeus invadiram a África, uma invasão é uma agressão.

Continua      

      

 

 

15
Fev24

O Império

cheia

O Império  -  As teias que o Império teceu

 

48

A Miquelina continuou a contar a sua história, que tanto entusiasmava o filho e os sobrinhos

A explicar-lhes o cuidado que tinha de ter, para que os homens não descobrissem que era  mulher

Sempre vestida dos pés à cabeça, com os cabelos bem escondidos, tentado imitar os homens

Não deixou de lhes dizer que tinha sido um grande desafio, de Lisboa a Nagasaki, ida e volta, rodeada de homens, a quem ela tinha de convencer, que era do sexo deles

Tantos dias sem ter com quem partilhar os seus medos, as suas vitórias, as tristezas, as alegrias, coisas que nos ajudam a manter o equilíbrio

Mas, à medida que ia superando as adversidades, mais forte se sentia, o que fez com que perdesse o receio de que não seria capaz de cumprir todas as missões

Ombreou, lado a lado, com os homens em todas as tarefas, levando-a a decidir que, quando chegasse a Lisboa, iria revelar o seu sexo, sem receios, nem medos, porque já tinha provado, a todos, que não era nem mais, nem menos que eles

Acabou a sua exposição, dizendo-lhes que quando chegou a Lisboa foi falar com o Comandante, para lhe revelar o seu sexo. Este ficou estupefacto por não ter desconfiado de nada. Foi nessa altura que a convidou para fazer parte da tripulação da próxima viagem, e que tinha uma missão muito importante para ela

Pediu-lhe para que, enquanto preparavam a futura viagem, tentasse descobrir o que havia para evitar ou curar o escorbuto

Disse-lhes que tinha feito tudo o que estava ao seu alcance, que tinha ouvido bruxos, curandeiros, cientistas, endireitas, barbeiros

Mas, infelizmente, não tinha conseguido encontrar ninguém que conhecesse as mesinhas para escorbuto, que tanto atormentava os marinheiros

Acrescentou que de tempos-a-tempos passava pelo cais, para saber quando tinha de se apresentar, para a próxima viagem

Que no dia em que se apresentou ia muito triste, por não ter conseguido cumprir a missão, mas o Comandante agradeceu-lhe o esforço e disse que talvez lhe tivesse pedido o impossível

  

 

Primeiro o filho, depois os sobrinhos, abraçaram-na e beijaram-na, dizendo-lhe que estavam muito orgulhosos da sua extraordinária história

Mas a audiência estava tão entusiasmada, queria que ela continuasse, pediu-lhe para  falar da segunda viagem

Vendo a grande curiosidade do filho e dos sobrinhos, decidiu continuar a contar as suas aventuras

Começou por lhes dizer que, como já tinha dito, o Comandante convidou-a para a viagem seguinte, incumbindo-a de tentar saber se havia cura para o escorbuto

Apesar de todos os esforços, não tinha conseguido descobrir nenhum remédio para curar o escorbuto

E, para tentar acabar com a curiosidade deles, acrescentou que tinha prometido, ao Comandante, ter um comportamento exemplar, visto que era a única mulher a bordo

Assim, mesmo depois de namorar com o Ezequiel, dentro do barco, tiveram de manter o comportamento, como se não fossem namorados, e não estivessem a planear deixar o barco, no porto de Luanda, onde esperavam encontrar o Januário, irmão do Ezequiel

O pedido de namoro, a aceitação do mesmo, e o planeamento da saída do barco tinham sido combinados em terra, quando ambos tiveram oportunidade de ir a terra

E deu por terminada a história das suas aventuras

A assistência sorriu, e disse-lhe que em disfarce, ela era uma mestra.

Continua

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2010
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2009
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2008
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2007
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub